Temido pelas mulheres, o frizz é caracterizado por aqueles “fios rebeldes” que ficam arrepiados. Ele ocorre como um sinal de que os fios não estão saudáveis e precisam de atenção e cuidados.

De acordo com o consultor da marca de cosméticos capilares SKNY (Stephen Knoll New York), Marcio Freoli, processos químicos como coloração ou alisamento, são causas comuns para o frizz, bem como as condições climáticas, como alta umidade, muito sol ou muito vento.

O consultor tira as principais dúvidas sobre o frizz e dá dicas de como evitar os fios rebeldes com tratamentos home-care.

1. Como reconhecer se estou com frizz?

Muitas pessoas confundem volume com frizz. Quando os cabelos estão debilitados por falta de hidratação ou excesso de processos químicos, tendem a ficar mais volumosos. Mas apenas os fios menores – ou fios novos, que se repelem entre si, são frizz.

2. Qual meu tipo de cabelo e como tratar?

De acordo com o especialista, para um resultado eficaz é preciso conhecer o seu tipo de cabelo para depois escolher os produtos corretos para tratar e manter o efeito desejado nos fios.

3. Hidratação semanal é o segredo?

A hidratação é o principal aliado no combate ao frizz. Isso porque a incidência do problema em cabelos hidratados é quase nula. Cada cabelo deve ser analisado – na estrutura (se é fino ou grosso, seco ou oleoso) e no estado (se está muito danificado ou se está saudável). Essas características irão determinar o tempo entre cada hidratação e o produto adequado para cada situação.

“Cabelos muito danificados precisam de um tratamento mais intensivo, com a máscara reparadora Excellent Repair Hair mask, da SKNY, por exemplo, que repara as cutículas do cabelo e repõe a queratina dos fios. Com esse tratamento a pessoa utiliza o produto em casa, deixa agir por cerca de 5 minutos e faz o enxague como de costume. É possível verificar a hidratação, leveza e maciez dos fios ainda na lavagem”, explica o especialista.

4. A técnica co-wash funciona?

A ideia do co-wash é simples: lavar o cabelo apenas com condicionador. “O co-wash proporciona uma limpeza leve nos fios, e isso é muito positivo pois deixa o cabelo mais hidratado, definido e mais soltinho”.

Esta técnica – de lavar os cabelos apenas com o condicionar – é indicada para cabelos muito ressecados, que precisam de hidratação reforçada. Nestes casos é recomendado, inclusive, o uso de condicionadores intensivos, que possuem mais ativos condicionantes que os condicionadores comuns. A SKNY conta com três condicionadores intensivos, cada um destinado a um tipo de cabelo: coloridos, cacheados e lisos.

Pessoas com problemas no couro cabeludo, como seborreia, por exemplo, não devem utilizar esta técnica, pois ela pode agravar o quadro ao invés de melhorá-lo.

5. A toalha atrapalha?

De acordo com o especialista, o atrito provocado pelo contato da toalha com os cabelos também é responsável pelo frizz. “Uma dica é escolher uma toalha que seja em tecido de algodão e evitar esfregar os cabelos para secar – você deve envolver os fios e apertar suavemente para que o tecido absorva a água”, orienta Freoli.

6. Posso deixar os cabelos molhados?

Você pode deixar os cabelos secarem naturalmente, mas o vento é um dos responsáveis pelo frizz. Dormir com os cabelos molhados também não é recomendado e prender nem pensar, pois, além de arrepiar os fios, o cabelo fica marcado e danificado.

7. Existem produtos anti-frizz?

Existem diversos produtos voltados para o controle dos fios rebeldes: pomadas, cremes para pentear, serums e leave-in anti-frizz. Alguns reparadores também possuem a função anti-frizz e podem ser aplicados a qualquer hora. “Minha indicação é o uso de um bom leave-in, para controlar o volume e proteger os fios, como o Hydro Repair Mist da SKNY. É um leave-in líquido, superleve, que protege os fios das agressões causadas pelos elementos e processos de beleza, além de proporcionar cabelos soltos, sedosos e macios ao toque e ajudar no controle do frizz.”, finaliza Freoli.

Comentários

Comentários